Este navegador não é suportado

Você está usando um navegador que não é mais suportado. Para continuar visitando nosso site, escolha um dos seguintes navegadores compatíveis.

Our global presence

Please select a business area and your country and language.

Close

Ferramentas pneumáticas: como amenizar a vibração ocupacional?

Vibração

Ferramentas com baixos índices de vibração permitem maior tempo de exposição e protegem o operador sem comprometer a produtividade

Como amenizar a vibração ocupacional - Chicago Pneumatic

Você já ouviu falar em vibração ocupacional? Trata-se de um fenômeno muito frequente nas operações que envolvem ferramentas pneumáticas de aperto e remoção com altos índices de vibração, expondo o trabalhador à chamada Síndrome da Mão Branca.

Este grave distúrbio causa diversos danos aos vasos sanguíneos, nervos, músculos e articulações do pulso e braço, devido à exposição intensiva e repetida à vibração. É assim chamado porque as mãos afetadas ficam pálidas pela falta de circulação sanguínea.

Vibração ocupacional como amenizar - Chicago Pneumatic

Assim, o grande desafio das empresas é garantir a saúde do trabalhador sem comprometer a produtividade. Vamos entender como é possível reduzir a exposição ao risco de lesões!

Entenda os fatores de risco

Podem ser afetados todos os usuários frequentes de máquinas que vibram durante o uso, como ferramentas pneumáticas manuais, desincrustadores, esmerilhadeiras, chaves de impacto e marteletes, entre outros.

Ferramentas pneumáticas percussivas, como desincrustadores de agulhas e marteletes, são muito utilizadas em operações de manutenção em empresas do segmento de óleo e gás, estaleiros e siderurgia, bem como operações de remoção de ferrugem, pingos de solda e remoção de “cracas” de cascos de navios.

Os marteletes também são usados em grande escala em fundições, para remoção de carepas e material excedente na remoção das peças dos moldes.

O nível de vibração dessas ferramentas e o tempo de acionamento por turno de trabalho são os principais fatores que, juntos, indicam se a pessoa está em risco.

Ou seja: o caminho é diminuir ao máximo os níveis de vibração para não ter que reduzir o tempo de exposição. Afinal, se o operador não puder se expor às vibrações por muito tempo, ele terá que fazer diversas pausas e produzirá menos. 

Como exemplo, existe uma norma internacional (ISO 2631) indicando o tempo que uma operação com determinada vibração pode ser executada sem interrupção. Este tempo pode ser até 10 vezes maior se for utilizada uma ferramenta pneumáticas com redução de vibração.

Como garantir a redução da vibração ocupacional em ferramentas penumáticas?

Em marteletes e desincrustadores de agulhas

São o que chamamos de ferramentas percussivas — em geral, um jogo de agulhas ou “cinzéis” acionados por um pistão que, de forma cíclica, aplica “batidas” em alta frequência, assim como uma britadeira.

Normalmente, no retorno desse movimento de vaivém há contato entre as partes metálicas do pistão com a máquina. Os modelos com redução de vibração possuem elastômeros que reduzem este impacto, aliviando a carga no corpo do operador — como a linha B18MV, da Chicago.

Nas esmerilhadeiras

Prefira modelos com autobalanceador, recurso que ajuda a estabilizar a ferramenta.

Trata-se de um jogo de esferas que, ao girar, compensa as imperfeições do disco abrasivo. A rápida rotação do disco elimina as vibrações, promovendo um desgaste uniforme no disco, equilibrando a ferramenta e reduzindo muito qualquer vibração.

Vale destacar que o custo extra do autobalanceador é rapidamente compensado pela diminuição do consumo de abrasivos e pelo aumento da produtividade.

Nas chaves de impacto

Prefira chaves de impacto que possuam embreagem com banho de óleo. Nestes modelos, a caixa de embreagem é vedada: o óleo permanece em contato constante com o mecanismo de impacto, proporcionando menor vibração e menos ruído nos impactos realizados pela ferramenta.

Que outros cuidados podem amenizar a vibração ocupacional?

Muitas medidas podem ser tomadas para reduzir os riscos de lesões. Escolher a ferramenta certa e limitar o tempo de exposição à vibração é o mais importante, mas outros pontos-chave podem ser levados em consideração para proteger você, seus colegas ou seus funcionários.

  • Experimente diferentes ferramentas. Escolha aquelas que não deixam os dedos dormentes ao usá-las por um curto período de tempo.
  • Sempre verifique se as ferramentas pneumáticas estão com a manutenção em dia.
  • Segure as ferramentas adequadamente, só aperte a alça quando for necessário.
  • Mantenha as mãos quentes e tente evitar o contato direto com as partes frias ou sujeitas a congelamento nas máquinas. Se possível, não deixe ferramentas expostas ao tempo durante a noite.
  • Faça pausas regulares. Evite sequências longas de trabalho com ferramentas de alta vibração e tente alternar as operações, realizando outras atividades em paralelo.

Quer saber quais ferramentas pneumáticas com baixo índice de vibração atendem às necessidades da sua operação? Fale com nossos especialistas!

Tiago Pultrini
Gerente de vendas